Portes grátis a partir de 49.00€ para Portugal Continental
Portes grátis a partir de 49.00€ para Portugal Continental

Ansiedade por separação pós-confinamento

Autor: | 26 Nov,2020

Os cães são animais sociáveis e como tal, ver o dono sair de casa todos dias, pode rapidamente tornar-se um momento de pânico, o medo que possa não voltar pode provocar stress até uma ansiedade por separação mais séria.

Sinais de ansiedade:

  • Ladrar, uivar, choramingar;
  • Roer objetos, sofás, sapatos…;
  • Fazer as necessidades dentro de casa;
  • Tentativas de fuga (normalmente notará marcas nas portas, janelas…)
  • O seu cão fica ofegante, ou baba-se mais que o normal;
  • Comportamentos autodestrutivos (coçar-se em demasia, andar em círculos intensivos (por exemplo perseguindo a cauda), lamber-se demasiado até causar lesões, roer unhas, roer a cauda…

 

A Covid-19, trouxe imensos desafios a todos nós, porém mesmo que esteja em casa, confinado, em teletrabalho ou outros motivos, tente manter uma rotina para facilitar a angústia do seu animal.

O maior desafio, quando voltar a normalidade, é que vai passar menos tempo consigo – a maior adaptação que terá que enfrentar.

Não entre já em pânico e comece a praticar os pontos que mencionamos abaixo. De certeza que ajudará o seu cão a ser mais confiante e independente quando sozinho em casa.

  • Proporcionar “tempos solitários” – habitue o seu cão a estar sozinho mesmo estando por casa. Por exemplo, trabalhe numa divisão e feche a porta. Tente que seja sempre o mesmo horário e vá aumentando o grau diariamente.

Uma boa sugestão seria, para um cão extremamente apegado, ter uma grade de separação ou mesmo uma crate e que aprenda a brincar sozinho ao seu lado, sem a sua interação, mas que consiga olhar para si.

Se tiver crate, vá afastando-a até que ele consiga deixar de o/ a ver e fique calmo e entretido com algo que lhe tenha dado.

Após essa primeira fase, sessões sozinhos de 15 minutos, uns 4 x ao dia e ir aumentando gradualmente, diariamente até que consiga ficar com a porta fechada ou então que fique noutra divisão sossegado.

Dê-lhe sempre algo para se entreter como um brinquedo recheado, a alimentação dentro de um dispensador de comida, artigos para roer para que possa se entreter. Mantenha uma rotina diária.

Imaginando, que ele não aguente o tempo que tenha estipulado, volte atrás e ponha um limite de tempo menor. Mas seja resistente, não abra a porta ao primeiro sinal. Se ele chora, espere e abra imediatamente depois de se calar mantendo uma postura calma e apaziguadora.

(No entanto, se tiver seguido bem os primeiros passos introdutórios, não haverá motivo para choramingar). Os alaridos e festas efusivas não são bem-vindas para a estabilidade emocional do seu animal. Repita o procedimento diariamente e em várias divisões.

 

  • A rotina

Os cães são animais de rotina. Animais pouco confiantes é importante manter uma rotina bem planeada, isso ajuda-os a reduzir o stress. Mesmo que esteja em casa, mantenha a rotina diária tal e qual como se estivesse a trabalhar. Tenha horas para a comida, para as necessidades, exercício, atividades, brincadeiras etc.

  • Reduza a ansiedade derivada do facto de sair

Como dissemos os animais são animais de rotina e sabem exatamente quando vai sair. Você veste-se, pega nas chaves e vai até a porta. Só isto pode desencadear stress se o seu cão não souber ficar sozinho.

Aos poucos, altere a sua rotina. Mas ainda agora dissemos para manter uma rotina…Calma!

Você ainda está em casa! Vista-se e pegue na chave e ponha-as no bolso e vá sentar-se no sofá. Pegue no seu casaco e vá para uma outra divisão de casa. Pegue na mala e vá deixa-la no escritório…faça isso várias vezes ao dia para quebrar a associação que o cão tinha anteriormente relativamente a sua saída.

Precisa de sair agora? E ainda não preparou o seu cão? Ignore o seu cão 30 minutos antes de sair de casa. Não fale, não olhe, não faça festas. Nada. 15 minutos antes de sair, ofereça ao cão um brinquedo recheado, e algo para roer e saia normalmente mantendo o foco: IGNORAR.

Use apenas estes brinquedos quando sai, para conseguir uma associação positiva a sua saída.

Quando regressar a casa, mantenha a postura. O seu cão vai estar super entusiasmado de o ver. Mas ignore. Quando estiver calmo, faça-lhe festas imediatamente. Irá assim associar que a calma é sinal de ter atenção do dono mais rapidamente, que ao final de contas é o que eles querem.

  • Use técnicas de reforço positivo

Se o seu cão mostra sinais de stress, o reforço positivo é a ferramenta efetivamente segura e funcional para esta situação (e todas em geral!)

  • Saiba quando pedir ajuda

Ansiedade por separação, não é somente comportamental. É também uma questão de saúde.

Gritar, punir ou obrigar não vai resolver nada, e ao contrário só vai aumentar o stress e níveis de cortisol – a hormona da ansiedade.

Se o seu cão está num nível extremo de perturbação, peça ajuda de um profissional reconhecido no sucesso de modificações comportamentais nomeadamente esta questão. E em paralelo fale com o seu Médico Veterinário. Pode fazer um check-up global e ver se existe alguma alteração, e talvez alguma medicação (evite tudo o que seja para deixar o seu cão “K.o!” e auxilie sempre com um profissional comportamentalista como referido.

Terapias Naturais também são um ótimo complemento. Peça ajuda ao seu Médico Veterinário para saber se são seguras para o seu animal. Existem diversos produtos no mercado.

 

Não se esqueça, esta temporada pode ser bastante difícil para o seu animal, se passou a estar consigo todos os dias. Talvez um amigo, um vizinho ou um familiar possa ajudar e vir passar um pouco de tempo com o seu patudo! Um dia por semana em day care também pode ser bastante útil, desde que tenha a certeza que o seu animal é sociável e que goste de ir. Bons profissionais irão marcar previamente uma avaliação e autorizar a entrada para a creche!

 

Se achaste este artigo útil, diz-nos como tem estado o teu patudo? Sofres deste tipo de problemas ou conheces alguém nesta situação? Partilha 😀

Pagamento 100% seguro

[]